Ensaio de Proficiência IAC para Laboratórios de Análises de Solos


Go to content

Como Obter Selos

Sobre o Programa

Para concorrer aos “selos de qualidade” do Programa, os laboratórios devem efetuar todas as determinações do conjunto analítico dos quais planejam participar, além de analisar um número mínimo de 16 amostras durante o ano, correspondente a 80% das amostras distribuídas.Laboratórios que não precisarem ou desejarem os selos, poderão realizar apenas as determinações convenientes, ou seja, não há a necessidade de entregar todos os resultados.

Isso pode ser útil para laboratórios que não realizam todas as análises previstas nas exigências do Programa por não terem o procedimento em rotina ou por seguirem métodos diferentes dos padrões do Programa para uma ou outra determinação. Embora esses laboratórios não participem da avaliação final do ano em curso – e consequentemente não receberem selos - eles se beneficiam do Programa pois recebem os relatórios bimestrais com as avaliações dos resultados submetidos, os quais podem também ser consultados no site do Programa na Internet.


Perfil dos laboratórios participantes
O número de participantes do Programa vem aumentando ao longo dos anos. Em 2010, o Ensaio de Proficiência contou com a participação de 112 laboratórios. Algumas instituições não participam de todos os conjuntos analíticos ou não enviam o número mínimo de resultados para a avaliação final. Assim, o número de participantes avaliados foi de 92 laboratórios para o conjunto analítico básico, 63 para o conjunto analítico de micronutrientes e 69 para granulometria. Tem sido observado um aumento constante no número de laboratórios que realizam as determinações de micronutrientes e de granulometria pois há uma tendência dos laboratórios oferecerem mais opções para os clientes. Por exemplo, há 7 anos (em 2002) apenas 42 laboratórios determinavam micronutrientes e granulometria.

A proporção de laboratórios ligados ao setor público é de 21% e do setor privado 79%. A proporção de laboratórios pertencentes ao setor privado no Ensaio de Proficiência IAC é crescente e é a maior entre os Programas de Laboratório similares no Brasil, indicando uma tendência, já bem consolidada no Estado de São Paulo, da prestação desse tipo de serviço ser realizada por empresas privadas. No passado o setor público era o principal provedor de análises de solo para os agricultores. Atualmente, o papel principal do setor público é garantir o suporte científico e metodológico para que os laboratórios possam atender adequadamente os agricultores.



Figura 1-A . Número de laboratórios do setor público e privado, participantes do Programa em 2010


Os laboratórios que participam do Ensaio de Proficiência estão situados em 12 estados brasileiros (68% no Estado de São Paulo), um no Uruguai e um na Costa Rica (Quadro 1-A).
Atualmente metade (50%) dos laboratórios participantes do Ensaio de Proficiência faz análises completas (básicas, micronutrientes e granulometria). Por outro lado, apenas 19% fazem somente as análises básicas e 13%, as básicas + micronutrientes (Figura 2-A). Um pequeno número de participantes realiza somente as análises de micronutrientes ou de granulometria. Há uma tendência dos laboratórios oferecerem vários tipos de determinações aos clientes.

Quadro 1-A. Estados de origem dos laboratórios participantes do Ensaio de Proficiência do IAC em 2010




Figura 2-A. Tipos de análises realizadas pelos laboratórios participantes do Programa IAC em 2010. Dados se referem à porcentagem dos laboratórios que realizam cada grupo de análise. Alguns laboratórios, que utilizam métodos diferentes daqueles do Ensaio de Proficiência IAC, não tiveram os dados do conjunto analítico computado.


O perfil da figura jurídica dos laboratórios é apresentado na Figura 3-A. Aproximadamente 36% dos laboratórios são pequenas unidades independentes, que têm na análise de solo uma de suas principais atividades. A porcentagem de laboratórios ligados a associações de produtores ou cooperativas é de 13% e a de empresas e fundações, 21%. Os laboratórios de institutos de pesquisa representam 7% do total e os ligados ao ensino público, 14%. As instituições de ensino privado representaram 9% do total de participantes. Essas proporções estão relativamente estáveis há algum tempo, embora com pequenas variações de ano para ano.


Figura 3-A . Perfil dos laboratórios participantes do Programa em 2010


Back to content | Back to main menu